Como lidar com a agressividade infantil

Olá, tudo bem com você?

Hoje vamos falar sobre a agressividade na infância e descobrir algumas práticas eficazes para lidar com esse problema.

A agressividade na infância começa a ser percebida pela família por volta dos 2 anos de idade. Nessa fase, a criança já começa a se perceber como individualidade e inicia a exploração do ambiente, do eu e do outro.

A criança, muitas vezes, não consegue lidar com a frustração nessa idade e, por essa razão, demonstra sua raiva por não saber expressar seus sentimentos por meio de palavras.

Mas, apesar do processo ser comum, você deve pesquisar a causa da agressividade. Existem duas possibilidades a serem investigadas: a primeira se refere ao ambiente doméstico.

Como é o comportamento da família? Há a presença de comportamentos agressivos que podem estimular a criança a essa agressividade precoce?

Se sim, cabe à família rever essa postura e propor alternativas mais saudáveis de convivência, como o diálogo, por exemplo.

Caso não haja na família manifestações agressivas, você precisa investigar se há outros ambientes em que a criança frequenta e que podem afetar o seu próprio comportamento, como escolas, clubes, casa de parentes ou qualquer outro.

Nesse caso, converse com a criança e, se for possível, evite o contato com o ambiente em que a agressividade está presente.

Caso não haja nenhum ambiente em que a criança frequente que a esteja influenciando para agir de forma agressiva, comece a observar em que momentos a criança apresenta a agressividade e busque as causas.

Descobrindo a causa, converse com a criança, acolha o seu sentimento e ajude-a a encontrar alternativas para sanar suas dificuldades emocionais.

Incentive a criança ao diálogo, proponha atividades relaxantes, como uma música tranquila ou uma massagem para acalmá-la.

Não havendo melhora, procure um terapeuta infantil para evitar que o problema se agrave.

Você vive esse problema? Quer compartilhar sua experiência? Conte-nos nos comentários.

Beijos iluminados e até a próxima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *